Minhas leituras favoritas em 2018

Minhas leituras favoritas em 2018

Tenho prometido uma lista de leitura para vocês, e agora tenho a satisfação de apresenta-los, as minhas leituras favoritas.

Nesta minha lista, estão inclusos os seguintes livros:

  • Conversas entre amigos (por Sally Rooney);
  • Housekeeping (por Marilynne Robinson);
  • Kitchen (por Banana Yoshimoto);
  • Wish Her Safe At Home (por Stephen Benetar).

Você gosta de narrativas sombrias ou cômicas com direção ás mulheres?

Se sua resposta foi sim, certamente está no post certo. Continue a leitura abaixo e descubra mais sobre minha experiência em cada livro.

Conversas entre amigos (por Sally Rooney)

Eu realmente gostei da honestidade do livro. Quando lia, eu assistia os personagens disfuncionais se juntarem, desmoronarem e depois se juntarem novamente.

A narrativa é escrita através das memórias de Frances, com conversas, pedaços de e-mails e textos entre os personagens.

Frances é uma pessoa legal e calculista, e tenta abordar uma certa autocompreensão no livro.

Ela separa seus próprios motivos, identidade, destrutividade e auto-aversão que permeiam em seus relacionamentos, com todos os outros indivíduos.

E por ter essa questão emocional e comportamental, a história acaba sendo um pouco triste.

Mas é interessante ver os relacionamentos, especialmente não convencionais, levados aos limites e mantidos sob um microscópio.

Para quem prefere livros mais curtos, “Conversas entre amigos” é uma ótima opção.

Housekeeping (por Marilynne Robinson)

Se você está viajando sozinho e precisa de algo pesado, só que ao mesmo tempo introspectivo para ler, Housekeeping é perfeito.

A narrativa deste livro, é densa e mítica com uma bela prosa sinuosa.

Meu conselho é escolhê-lo para ler somente quando houver tempo, pois sua narração é bem detalhada.

Ao ler, eu me senti assombrado pelas imagens do lago frio e da cabine úmida que as garotas crescem ao redor.

Kitchen (por Banana Yoshimoto)

O livro Kitchen, é uma história minimamente redigida que aborda volumes e que enterrou o meu coração (não estou morta, é metaforicamente falando).

Como alguém que se sente confortado em minha cozinha, a descrição de Yoshimoto nas histórias é minha parte favorita no livro.

Ela foi capaz de transformar o comum em algo extraordinário, assim como cinematográfico.

A escritora escreve todos os seus personagens com particularidade e dignidade que lhes permite espaço para se tornar excêntricos.

Se você está passando por algum luto ou perda, aconselho a leitura, pois a partir dela é possível visualizar o que há detrás das situações.

Wish Her Safe At Home (por Stephen Benetar)

Este livro, eu peguei para ler e treinar o inglês. Foi indicação de uma amiga que inclusive estuda comigo e que disse ter adorado.

Não sei como é o nome do livro em português, mas se você gosta ou precisa de livros para praticar o idioma, saiba que esta é uma boa obra.

A capacidade do autor de contar a história do ponto de vista não tão lúcido da personagem, é magistral.

À medida que a história avança, você começa a perceber que algo pode estar acontecendo.

Ao ler, senti que estava brincando com a própria imaginação. Há tantas partes sobre as quais gostaria de falar sobre o livro, mas estaria te enchendo de spoilers, melhor não.

Enfim, se você quer se envolver em uma história que exija de sua imaginação, esta é uma opção excelente!

Escreva um comentário